Libéria declara emergência por causa de praga de lagartas

Lagartas, que têm entre 2 e 3 centímetros, que destroem todo tipo de plantações

Efe,

27 Janeiro 2009 | 15h45

A Libéria declarou estado de emergência por causa de uma praga de lagartas que destruiu boa parte das colheitas de diversas plantas no país e que atinge milhares de pessoas, informou nesta terça-feira, 27, a imprensa local.   A presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf, seguiu na noite de segunda-feira, 26, para o Parlamento para explicar os graves efeitos que a praga pode ter sobre as colheitas e a alimentação do país.   No dia 17 de janeiro o Governo da Monróvia já declarou estado de emergência no distrito de Zota, o mais atingido pela invasão destas lagartas - que têm entre 2 e 3 centímetros, que destroem todo tipo de plantações e que já deixaram sem produção agrícola boa parte do país.   O ministro da Agricultura da Libéria, Chris Toe, enviou há duas semanas uma equipe de analistas para a área onde a praga era mais grave, que afirmou que estava se "agravando" e que a situação era "alarmante".

Mais conteúdo sobre:
Libéria lagartos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.