Lei obrigará SP a cortar 20 milhões de toneladas de CO2

Esforço equivale, por exemplo, a cortar quase metade do que a indústria paulista emitiu de CO2 em 2006

Afra Balazina, de O Estado de S. Paulo,

26 Outubro 2009 | 21h12

A aprovação da lei estadual de mudanças climáticas obrigará o Estado de São Paulo a reduzir sua emissão de gases que provocam o aquecimento global em cerca de 20 milhões de toneladas até 2020, tendo como base a emissão do Estado em 2005. O esforço equivale, por exemplo, a cortar quase metade do que a indústria paulista emitiu de CO2 em 2006 (um total de 38 milhões de toneladas ).

 

A legislação, que deve ser sancionada pelo governador José Serra em novembro, prevê um corte de 20% nas emissões em relação aos níveis de 2005. Em entrevista ao Estado, o secretário estadual Xico Graziano (Meio Ambiente) afirmou que, apesar de São Paulo ainda não ter um inventário completo de emissões, a pasta trabalha com uma estimativa de emissão de 100 milhões de toneladas de gases de efeito estufa em 2005. Isso representa quase um terço do que o desmatamento da Amazônia emite atualmente ao ano - aproximadamente 350 milhões de toneladas. O dado, porém, precisará ser confirmado pelo inventário, que deve ser publicado até o fim de 2010.

 

Leia reportagem completa na edição desta terça-feira, 27, de O Estado de S. Paulo

Mais conteúdo sobre:
São Paulo meio-ambiente CO2

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.