Pixabay / @skeeze
Pixabay / @skeeze

Lei 'Free Willy': Canadá proíbe a criação e captura de golfinhos e baleias

Apresentada pela primeira vez em 2015, legislação prevê multa de até US$ 150 mil para quem for denunciado em posse de cetáceos

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2019 | 03h55

MONTREAL, CANADÁ - O parlamento do Canadá aprovou nesta segunda-feira, 10, uma lei que proíbe a captura e criação de cetáceos como baleias e golfinhos, com multa prevista de US$ 150 mil.

Proposta pela primeira vez em 2015 ao senado canadense, a lei ficou conhecida popularmente como ‘Free Willy’, em homenagem ao filme de 1993. Ela agora precisa voltar ao Senado como uma formalidade, para receber a “aprovação real”.

Exceções previstas na nova legislação incluem o cuidado de mamíferos marinhos que exigem reabilitação após uma lesão, cetáceos com licença para pesquisas científicas ou casos especificamente autorizados pelas autoridades responsáveis.

"É uma lei muito importante que proíbe a criação, assegurando que baleias e golfinhos atualmente bloqueados em pequenos tanques no Canadá sejam a última geração a sofrer", disse em um comunicado Melissa Matlow, diretora de campanhas da ONG canadense World Animal Protection.

Nos últimos anos, parques aquáticos com atrações de baleias e golfinhos foram alvo de campanhas de repúdio no país. Ainda em 2018, a agência de turismos Thomas Cook anunciou que deixaria de vender viagens a parques de animais que contenham baleias assassinas em cativeiro.

Atualmente, o parque Marineland, em Niagara Falls, e o Aquário de Vancouver são as únicas instalações no país que ainda contam com cetáceos cativos entre suas atrações. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.