Kyoto será mantido, afirma Guardian

Presidência da COP teria desistido de insistir na proposta dinamarquesa, que sugere cancelar o tratado

17 Dezembro 2009 | 14h19

Negociações trabalharão a proposta de manuntenção do Protocolo de Kyoto, afirmou nesta quinta-feira o jornal britânico The Guardian em matéria no site do veículo. De acordo com o jornal, os países desenvolvidos estariam abandonando os esforços para acabar com o único protocolo sobre mudanças climáticas vigente hoje. As discussões seguiriam em duas bases, as linhas gerais de um novo acordo e a manutenção da integridade do tratado de Kyoto.

 

Segundo o Guardian, a presidência das negociações de Copenhague teria desistido da tentativa de insistir na proposta da Dinamarca, que vazou para a imprensa na semana passada, que sugeria o cancelamento do documento.

 

Um dos impasses que marcaram a semana de negociações na Conferência do Clima (COP-15) em Copenhague foram as discórdias entre países ricos e pobres sobre o protocolo de 1997. Os países em desenvolvimento mostraram resistência à substituição ou diminuição das decisões propostas no documento.

 

O impasse sobre o Protocolo de Kyoto é decorrente de este ser o único acordo juridicamente vinculativo sobre as alterações climáticas existente hoje, que requer que os países industrializados - mas não as nações em desenvolvimento - cortem suas emissões de gases de efeito estufa.

 

Os países ricos estavam insistindo sobre a criação de um novo tratado, argumentando que o mundo mudou, e grandes economias emergentes como China e Índia deveriam se comprometer a reduzir o rápido crescimento de suas emissões nacionais. Já nações em desenvolvimento argumentam que as nações desenvolvidas enriqueceram lançando poluentes na atmosfera e devem assumir a responsabilidade histórica por esse prejuízo, algo que só pode ser garantido pelo Protocolo de Kyoto.

 

(Com informações do The Guardian)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.