Justiça dos EUA mantém multa por vazamento da BP no Golfo do México

Estimativa é que a decisão possa elevar o montante de indenizações para até US$ 14 bilhões

Agência Estado

11 Janeiro 2014 | 11h37

A justiça norte-americana rejeitou um recurso da BP e manteve a indenização bilionária imposta à petrolífera após o derramamento de óleo no Golfo do México em 2010. Ainda de acordo a decisão de um tribunal federal em Nova Orleans, a empresa poderá ter que desembolsar bilhões de dólares a mais que o previsto inicialmente para moradores e empresas da Costa do Golfo que tiveram prejuízos com o vazamento do petróleo.

A BP contesta justamente o pagamento às empresas prejudicas. A companhia britânica argumenta que o cálculo dos prejuízos seria inadequado, permitindo o pagamento de milhões de dólares a empresas que não teriam sido realmente afetadas pelo vazamento de 2010. Segundo o porta-voz da BP, Geoff Morrell, a questão ainda está pendente. "A BP continuará a pressionar a sua posição sobre a interpretação das disposições em matéria do acordo de pagamento que exigem um nexo causal entre a lesão do reclamante e do derramamento", disse em comunicado.

A estimativa é de que a decisão desfavorável possa elevar o montante de indenizações para até US$ 14 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.