Reprodução
Reprodução

Jogo de computador sobre clima permite decidir o futuro da Terra

'O Destino do Mundo' propõe formas de salvar planeta do aquecimento; versão final sai em 2011

Reuters

01 Novembro 2010 | 18h37

LONDRES - Alguma vez você quis saber como uma pessoa pode salvar o planeta dos efeitos das mudanças climáticas? O jogo de computador britânico "O Destino do Mundo", lançado para testes nesta segunda-feira, 1º, propõe diferentes maneiras de fazer isso.

O game coloca o futuro do planeta nas mãos dos jogadores, deixando-os a cargo de um órgão ambiental internacional que poderia livrar o mundo dos prejuízos causados pelo aumento das emissões de gases de efeito estufa ou deixá-lo morrer se continuar a permitir emissões pesadas de combustíveis fósseis.

Por meio de diferentes cenários, os jogadores podem explorar opções como geoengenharia e fontes de energia alternativas para salvar o planeta do aquecimento global, da escassez de recursos naturais e de uma população crescente ao longo dos próximos 200 anos.

Durante três meses, os usuários poderão testar o jogo e enviar seus comentários. A versão final de "O Destino do Mundo" está prevista para fevereiro de 2011.

Criado pela produtora Red Redemption, de Oxford, no Reino Unido, o jogo se afasta dos principais videogames de ação ao usar dados de modelos climáticos reais e conselhos de cientistas e economistas britânicos e americanos.

"Dados científicos são muitas vezes inacessíveis, e estamos tentando colocar os jogadores em posição de poder, conectada com essas questões", disse Gobion Rowlands, fundador e presidente da Red Redemption.

"Não estamos defendendo uma causa particular. Há diversas opções, como energia nuclear e as renováveis. Não queremos determinar que um determinado caminho seja o melhor", acrescentou.

A empresa tem um conselho consultivo que inclui especialistas em mudanças climáticas. Myles Allen, diretor de dinâmica do clima na Universidade de Oxford, também contribuiu com os modelos de previsão do jogo.

Este ano, uma série de falhas na ciência climática e o fracasso das conversações da ONU para um acordo internacional de redução das emissões pareceram minar o interesse do público sobre o aquecimento global. Entretanto, games focados em temas como sustentabilidade e direitos humanos vêm crescendo em popularidade e são recebido por grupos ambientalistas como uma forma de sensibilização.

Usar as alterações climáticas como fonte de inspiração para o entretenimento já permeia a cultura global, o que é uma ótima coisa, afirmou o presidente da ONG Friends of the Earth (Amigos da Terra).

"Precisamos de indústrias criativas para trabalhar com essas grandes questões, visto que os resultados podem ser imensamente poderosos e nos ajudar a entender como seria um futuro sustentável", destacou Fiona Bennie, consultora sênior de sustentabilidade da ONG britânica Forum for the Future (Fórum para o Futuro).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.