Claudio Vieira/PMSJC
Claudio Vieira/PMSJC

Jequitibá-rosa de 500 anos é incendiado

Suspeita é de que árvore símbolo de São José dos Campos tenha sido alvo de vandalismo

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

13 Abril 2017 | 03h00

Um jequitibá-rosa de mais de 500 anos teve o tronco atingido na terça-feira, 11, por um incêndio no distrito de Eugênio de Melo, em São José dos Campos, interior de São Paulo. O fogo, provavelmente resultante de ato de vandalismo, começou num terreno próximo e atingiu a árvore, que já estava escorada com alças metálicas por causa de uma rachadura. Símbolo da cidade, o jequitibá-rosa foi tombado pelo patrimônio histórico municipal e declarado imune ao corte por decreto da prefeitura de 1993. 

A prefeitura mobilizou os bombeiros, que usaram a água de dois caminhões-pipa para apagar as chamas. Nesta quarta, equipes das Secretarias de Urbanismo e Sustentabilidade e de Manutenção inspecionaram o tronco e constataram que os danos foram superficiais, não atingindo partes vitais da planta.

A árvore é monitorada desde 2006, quando foi constatada a rachadura no tronco, que pode ter sido causada por um raio. As alças metálicas evitam que o buraco se expanda. Na próxima semana, o jequitibá-rosa receberá adubação de reforço, tratamento nutricional e controle de pragas.

Recorde. O jequitibá-rosa também é também a árvore símbolo dos Estados de São Paulo e do Espírito Santo. Presente principalmente na Mata Atlântica, é considerada a maior árvore nativa do Brasil, podendo atingir até 50 metros de altura e diâmetro de até 7 metros. O maior espécime em território paulista está em Santa Rita do Passa Quatro, com 40 m de altura e tronco de 4 m, sendo necessárias nove pessoas adultas para abraçá-lo. A idade desse jequitibá-rosa é estimada em 600 anos, ou seja, a árvore já existia no descobrimento do Brasil.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.