Divulgação
Divulgação

Jardins para qualquer tipo de imóvel

Paisagista ensina todas as etapas para construir paredes verdes

Alice Lobo, Especial para O Estado de S. Paulo

19 Maio 2010 | 10h04

Enquanto não deslancha a tendência dos tetos ecológicos – que pegou nos Estados Unidos, mas por aqui se resume a projetos esporádicos, destinados a eventos de arquitetura –, outra modalidade de paisagismo está ganhando adeptos no País.

 

É a das paredes verdes ou jardins verticais, encontrados em lojas e restaurantes da moda. Eles podem ser montados em áreas externas ou internas e em diversos tamanhos, o que os torna viáveis para quem tem imóvel pequeno ou mora em apartamento.

 

Em seu showroom, nos Jardins, a paisagista Gigi de Arruda Botelho tem desde um “quadro vivo” até uma parede inteira forrada com samambaias. Ambas não são tão fáceis de montar e dão um certo trabalho na manutenção. Mas Gigi garante que a versão tradicional é simples de fazer e de conservar.

 

1. Blocos

O primeiro passo é comprar os blocos de cimento. É preciso medir a parede ou a área desejada para calcular quantas unidades serão necessárias. Gigi costuma usar os blocos da empresa Neo-Rex, que tem um modelo específico para paredes verdes, com 39 centímetros de largura, 19 de altura e 14 de profundidade. Ele já tem furos para drenar a água que vai escorrer quando as plantas forem regadas.

 

2. Cimento-cola

Em seguida é preciso chumbar os blocos com cimento-cola na parede e deixá-los assentar por pelo menos um dia, tempo suficiente para a massa endurecer. Depois é só pintar da cor de preferência, para disfarçar o fundo de cimento, e esperar secar.

 

3. Sol e sombra

Vários quesitos devem ser levados em conta nesta etapa, mas é preciso antes de mais nada decidir se a parede ficará numa área do imóvel que recebe mais sol ou mais sombra.

 

4. Mix

Além de decidir o tamanho e local da parede verde, você precisa escolher o estilo: a definição do tipo de planta é a etapa mais importante da montagem do jardim vertical. “Um mix verde passa uma cara mais tropical. Já as florzinhas coloridas dão um ar mais campestre”, diz a paisagista. É recomendável misturar plantas que tenham a necessidade do mesmo volume de água. Assim, quando você for regar, não corre o risco de uma das plantas ficar molhada ou seca demais.

 

5. Tipos de planta

Se o jardim vertical for exposto ao sol, a paisagista aconselha comprar ripsales, russélia vermelha ou amarela, liriope e samambaia-do-Amazonas. Se a parede ficar à sombra, algumas espécies indicadas são barrigas-de-sapo, heras e samambaias. Para quem gosta de cores, outra que funciona bem é a planta peixinho, que dá flores vermelhas.

 

6. Plantio

Compre terra vegetal adubada e, ao colocar a muda no bloco, incline a planta a 45 graus. Com isso, ela crescerá para fora da parede, e não paralela à base. Para quem gosta de orquídeas, elas devem ser plantadas em xaxins. Geralmente, orquídeas se adaptam melhor à meia-sombra.

 

7. Manutenção

É preciso regar as plantas todos os dias para deixá-las sempre úmidas. Dica: regar mais a parte superior, já que a água escorrerá parede abaixo. A cada dois ou três meses é necessário afofar a terra, quadradinho por quadradinho. Quanto à adubação, ela deve ser feita uma vez por mês, com húmus de minhoca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.