Japão quer 2005 como ano-base para metas pós-Kyoto

O Japão considera "justo" adotar 2005como ano-base para o cálculo das metas de redução de gases doefeito estufa num tratado que venha a suceder ao Protocolo deKyoto, disse uma importante autoridade do comércio e indústrianesta segunda-feira. Tóquio rejeita a idéia de manter 1990 como ano-base,alegando que isso seria injusto com a indústria japonesa, quefez importantes investimentos na eficiência energética há duasdécadas. Até agora, porém, o Japão não especificava um ano-baseadequado. Takao Kitabata, vice-ministro de Economia, Comércio eIndústria, disse em entrevista coletiva que 2005 seria umano-base "justo", de acordo com um porta-voz do ministério. A União Européia deve se opor à mudança do ano-base, poisjá se comprometeu em reduzir até 2020 suas emissões de gases doefeito estufa para 20 por cento abaixo do nível de 1990. Cerca de 190 países decidiram no ano passado em Baliiniciar as negociações que levem a um novo tratado globalcontra o aquecimento. O Protocolo de Kyoto, que expira em 2012,estabelece que os países desenvolvidos precisam reduzir suasemissões, em média, para 5 por cento abaixo dos níveis de1990. Há um consenso de que os países em desenvolvimento tambémprecisariam adotar metas no novo tratado. Ainda há divergênciasquanto ao tamanho das metas e o ano-base. (Reportagem de Linda Sieg)

REUTERS

24 de março de 2008 | 10h28

Tudo o que sabemos sobre:
CLIMAJAPAOKYOTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.