Japão ameaça deixar Comissão Baleeira Internacional

A CBI, que regulamenta a matança de baleias, fará sua reunião anual de 2010 em Agadir, no Marrocos

Associated Press

15 Junho 2010 | 16h49

O Japão estuda retirar-se da Comissão Baleeira Internacional (CBI) se não houver progresso no relaxamento da proibição internacional da caça às baleias, disse o ministro japonês da pesca.

 

Ex-baleeiro desmascara indústria da caça de baleias no Japão

Japão compra votos de nações pequenas na Comissão da Baleia

 

A CBI, que regulamenta a matança de baleias, fará sua reunião anual de 2010 em Agadir, no Marrocos, na próxima semana.

 

Espera-se que a reunião produza um compromisso entre países que defendem e que condenam a prática. O acordo poderá envolver uma liberação parcial da caça para fins comerciais.

 

Uma proibição está em vigor há 25 anos, mas países como Japão, Noruega e Islândia cacem baleias valendo-se de brechas do acordo, como a que permite matança para fins de pesquisa científica.

 

Uma proposta foi divulgada em abril para autorizar a caçada comercial por um período de dez anos.

O Japão já ameaçou antes deixar a CBI. O ministro de Agricultura, Florestas e Pesqueiros,  Masahiko Yamada, disse nesta terça que considera "várias opções" caso o banimento não seja relaxado. "Este é realmente o estágio final, e não sabem,os como as coisas são terminar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.