IBAMA
IBAMA

Irlandês é condenado por traficar ovos de falcão peregrino

Ave nativa brasileira está ameaçada de extinção; sentença foi dada menos de dois meses após prisão do suspeito

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

17 Dezembro 2015 | 18h58

SOROCABA - Um cidadão irlandês foi condenado a 4 anos e seis meses de prisão por tentar embarcar em um voo, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, levando quatro ovos de falcão peregrino, ave nativa brasileira, ameaçada de extinção. A sentença, do juiz da 2a. Vara Federal de Guarulhos, Paulo Marcos Rodrigues de Almeida, foi dada no último dia 14, em tempo recorde, menos de dois meses após a prisão do suspeito, em 21 de outubro. 

Com o estrangeiro, que embarcava para a África do Sul, com escala nos Emirados Árabes, a Polícia Federal apreendeu também três incubadoras, cordas de alpinismo, mosquetões, cadeira de escalada e capacete. 

Os equipamentos foram usados para a coleta dos ovos, já que a fêmea faz ninhos em penhascos e locais de difícil acesso. O Ministério Público Federal deixou de propor transação penal porque o réu já fora condenado pelo mesmo crime no Canadá e na Inglaterra. 

O fato de ser ave silvestre brasileira ameaçada de extinção agravou a pena em 50%. O suspeito se defendeu alegando ser observador de aves que viajava pelo mundo para fotografá-las. O juiz refutou a tese, argumentando que, se fosse um "autêntico" observador de aves, o réu manteria distância dos ninhos para não interferir no habitat da espécie. O condenado, que não teve o nome divulgado, pode recorrer da decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.