Instituto da UFRJ criará tecnologias verdes

Representante do Pnuma no Brasil disse que o centro dará concretude a várias aspirações dos países-membros da ONU

Felipe Werneck, O Estado de S.Paulo

25 Maio 2012 | 03h02

RIO - Um novo prédio no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, vai abrigar o Instituto Global para Tecnologias Verdes e Emprego, além do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas.

O instituto é uma parceria da Coppe/UFRJ com o governo do Estado do Rio, que tem o apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma).

O lançamento vai ocorrer no dia 4, com a presença do diretor do Pnuma, Achim Steiner, e da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, entre outros.

O diretor da Coppe e secretário executivo do Fórum, Luiz Pinguelli Rosa, disse que o instituto vai concentrar várias atividades e programas de pós-graduação, reunindo inicialmente cerca de 30 pesquisadores.

Segundo ele, novos laboratórios deverão ser criados com a oportunidade de ampliação de parcerias com universidades estrangeiras. "O instituto vai potencializar estudos e pesquisas que a Coppe desenvolve, principalmente nas áreas de energia, mudanças climáticas e inovação, agora com uma cooperação internacional maior."

A representante do Pnuma no Brasil, Denise Hamú, disse que o centro vai "dar concretude a várias aspirações dos países-membros (da ONU), com experiências que serão desenvolvidas para tecnologias verdes".

Segundo ela, a iniciativa terá todo o apoio institucional do Pnuma, mas não será oficialmente vinculada à ONU. Não há compromisso de recursos.

"Estamos numa fase de intercâmbio de ideias para esse instituto, que é inédito no mundo, com foco na economia verde e em tecnologias sustentáveis. Vamos nos valer dos resultados da Rio+20 para identificar áreas de cooperação", disse Denise.

Suzana Kahn, subsecretária de Economia Verde da pasta de Meio Ambiente do governo estadual, é uma das idealizadoras do projeto. O objetivo é tornar o Rio referência em pesquisa de novas tecnologias voltadas para a economia verde e o desenvolvimento sustentável.

Na inauguração, Steiner vai lançar a versão em português do relatório da ONU sobre empregos relacionados a tecnologias sustentáveis.

Mais conteúdo sobre:
Tecnologias VerdesPnuma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.