Inea inicia retirada de óleo de navio naufragado

Embarcação está parcialmente submersa na Baía de Guanabara desde a semana passada

Fábio Grellet - Rio,

19 Setembro 2013 | 18h00

O navio cargueiro Angra Star, que pertence à Frota Oceânica e Amazônica S/A, está parcialmente submerso na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, desde a semana passada. A embarcação estava abandonada, foi saqueada e acabou naufragando.

O navio chegou ao fundo do mar, mas, como a área oceânica em que ele está é rasa, parte continua acima do nível da água. Embora não transportasse óleo, a embarcação contém grande quantidade de óleo combustível e lubrificante, cujo vazamento pode causar um desastre ambiental na baía.

Wilton Junior/Estadão

Cargueiro está encalhado, com tanques cheios de óleo

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão da Secretaria Estadual do Ambiente, notificou a empresa dona da embarcação para que providenciasse a retirada do óleo, mas isso não foi feito. Ontem foram colocadas bóias para demarcar a área do navio, e na tarde de hoje o Inea e outros órgãos promovem uma operação para retirar o óleo.

Mais conteúdo sobre:
Navio naufrágio Inea óleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.