Índia anuncia que reduzirá emissões de CO2 em 20% a 25%

Meta de redução indiana era uma das últimas aguardadas às vésperas da cúpula do clima em Copenhague

Agência Estado,

03 Dezembro 2009 | 12h29

A Índia pretende reduzir significativamente suas emissões de dióxido de carbono no decorrer da próxima década, anunciou nesta quinta-feira, 3, o ministro indiano do Ambiente, Jairam Ramesh. A promessa de reduzir entre 20% e 25% as emissões de poluentes por unidade de PIB vem à tona apenas alguns dias antes de líderes mundiais começarem a se reunir na Dinamarca para discutir um pacto climático global capaz de substituir o Protocolo de Kyoto, que expira em 2012.

 

Veja também:

linkMerkel e Lula atuarão por acordo na cúpula de Copenhague

linkUE diz que não há espaço para corte de 30% de CO2 no bloco

linkChina se alinha a Brasil e Índia em exigências sobre clima

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo

 

O anúncio da meta indiana ocorre dias depois de a China ter-se comprometido a diminuir entre 40% e 45%, até 2020, suas emissões de gás carbônico por unidade de PIB.

 

A divulgação da meta chinesa aumentou a pressão sobre Nova Délhi para que apresentasse um plano próprio para as negociações climáticas previstas para começar na próxima semana em Copenhague.

 

Em discurso perante o Parlamento, Ramesh disse que a meta de redução é um compromisso interno e não tem força de lei.

 

Como um dos países com grandes populações e com uma economia com rápido crescimento, a Índia tem sido pressionada a enviar seus epróprios plano de redução de emissões à conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) em Copenhague após as promessas dos Estados Unidos e da China - os dois países que mais emitem gases de efeito estufa - de que reduzirão seus níveis de poluição.

A Índia é o quinto maior emissor de dióxido de carbono do mundo, com 4,7% das emissões mundiais, disse Ramesh.

Para alcançar seu objetivo, o governo indiano vai introduzir padrões obrigatórios de eficiência de combustível em 2011, códigos de construção para maior eficiência energética e desenvolver tecnologia mais limpa em usinas de energia movidas a carvão, disse Ramesh.

A Índia anunciou previamente o plano de construir uma usina de energia solar com capacidade de produzir 20.000 megawatts até 2022. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ÍndiaemissãoCO2Copenhaguemeta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.