Incêndios atingem pulmão vegetal de Caracas em meio a seca

Parque Avila também é um importante reservatório de água potável da capital venezuelana

Reuters

24 Março 2010 | 14h45

Helicóptero despeja água sobre área incendiada do Parque Nacional Avila, em Caracas    

 

CARACAS - A prolongada e forte seca que afeta a Venezuela nos últimos meses causou uma série de incêndios que destruiu centenas de hectares do parque nacional El Avila, um símbolo de Caracas e seu "pulmão vegetal".

 

Bombeiros, militares, voluntários e helicópteros tentaram combater nos últimos dias as enormes chamas que devastaram parte da reserva de 85.000 hectares.

 

Autoridades disseram à imprensa local que foram registrados 75 incêndios desde dezembro. O maior até o momento durou dois dias, até segunda-feira, e consumiu cerca de 120 hectares.

 

"(O incêndio) está 100% controlado, embora haja alguma fumaça... Esperamos que não se reinicie o fogo na manhã", disse o diretor de Proteção Civil, Luis Díaz Curbelo, segundo a agência oficial ABN.

 

As altas temperaturas diurnas que atingem Caracas ameaçam reiniciar os incêndios.

 

El Avila, rebatizado pelo presidente Hugo Chávez como parque nacional Waraira Repano, como era chamado pelos primeiros indígenas de Caracas, é um dos maiores atrativos da capital, visitado por centenas de pessoas diariamente. O parque também é um importante reservatório de água potável.

 

O diretor de Proteção Civil acrescentou que não foi descartado que os incêndios tenham sido provocados e que foram iniciadas investigações.

 

A forte seca, causada pelo fenômeno climático El Niño, provocou uma grave crise energética no país, onde mais da metade da energia produzida é gerada por centrais hidrelétricas.

Mais conteúdo sobre:
incendio Venezuela Caracas pulmao vegetal

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.