Marinha do Brasil
Marinha do Brasil

Imagens mostram manchas de óleo ao redor de navio que transporta minério da Vale

O navio MV Stella Banner, que transporta minério da Vale e que ameaça naufragar no mar do Maranhão, já registra vazamentos de óleo no oceano

André Borges, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2020 | 12h11

BRASÍLIA - O navio MV Stella Banner, que transporta minério da Vale e que ameaça naufragar no mar do Maranhão, já registra vazamentos de óleo no oceano. Imagens captadas pela Marinha e obtidas pelo Estado mostram manchas espalhadas ao redor da embarcação, que adernou na noite da última segunda-feira, 24.

Nesta quinta-feira, por volta das 15h, um avião do Ibama com sensores deve chegar ao local do acidente localizado há cerca de 100 quilômetros da costa de São Luís, de onde o barco zarpou.

O navio tem capacidade para transportar 300 mil toneladas.  E o tanque de combustível do navio carrega aproximadamente 4 milhões de litros de óleo diesel. A Vale foi questionada desde ontem sobre a quantidade de minério que carrega no barco, mas não se manifestou a respeito. Normalmente, esses navios só saem com carregamento máximo, por uma questão financeira. O destino do navio era o porto de Qingdao, na China, onde era esperado para chegar no dia 4 de abril.

No Ibama, conforme apurou o Estado, já é dada como certa a multa contra a Vale por crime ambiental.

Por meio de nota já divulgada, a Marinha declarou que as causas do acidente ainda não foram identificadas e que problema ocorreu às 21h30 da segunda-feira, 24.

"Quatro rebocadores se deslocaram em direção ao navio para coletar mais informações e prestar apoio, caso necessário", informou a Marinha. "A tripulação permanece em segurança na área à bordo dos rebocadores enviados."

"A Marinha instaurou um inquérito administrativo para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades do incidente", informou o Comando do 4º Distrito Naval da Capitania dos Portos do Maranhão.

Segundo informações divulgadas pela mineradora, a embarcação é de propriedade e operada pela empresa sul-coreana Polaris. Como operadora portuária, a Vale está atuando com suporte técnico-operacional, com o envio de rebocadores, e colaborando com as autoridades marítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.