ICMBio
ICMBio

ICMBio passa a ter novo coronel da PM em sua presidência

Fernando Cesar Lorencini, que assumiu o comando interinamente da autarquia desde o dia 21 de agosto, será confirmado

André Borges, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2020 | 12h52

BRASÍLIA – O Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), órgão federal responsável pelas unidades de conservação ambiental do País, passa a ser presidido por mais um coronel da Polícia Militar.

O Estadão apurou que o diretor de planejamento, administração e logística do ICMBio, Fernando Cesar Lorencini, que assumiu o comando interinamente da autarquia desde o dia 21 de agosto, será confirmado como presidente do órgão. A publicação oficial deve ser feita pelo Ministério do Meio Ambiente nos próximos dias.

Lorencini chegou ao ICMBio em maio do ano passado, como parte do movimento feito pelo ministro Ricardo Salles, de lotar os cargos ligados à pasta de pessoal com formação militar. Lorencini vinha apoiando o processo de privatização dos parques nacionais hoje administrados 100% pelo ICMBio, mas que o governo pretende repassar à iniciativa privada para exploração do turismo.

Graduado em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com mestrado profissional em Ciências Policiais e Ordem Pública (2009), Lorencini é coronel da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Já foi chefe de gabinete e secretário adjunto da Secretaria Municipal de Segurança Urbana da cidade de São Paulo.

Ele assume o posto antes ocupado pelo coronel Homero de Giorge Cerqueira, exonerado da presidência do ICMBio por Ricardo Salles. No dia 21, Cerqueira enviou nota aos amigos pelo Whatsapp, na qual afirmava que recebeu a notícia de sua demissão com “espanto e indignação”.

“É com espanto e indignação que fui informado de minha exoneração do cargo de presidente do ICMBio”, disse o coronel, afirmando que dará sua “mensagem verdadeira” sobre a situação. “Nunca pedi para ocupar este cargo e aceitei o convite como um desafio, não pedi para sair, fui surpreendido. Foi uma missão dada é cumprida com o melhor de mim”, escreveu.

O desgaste entre o ministro Ricardo Salles e Cerqueira já ocorria havia alguns meses. Para além da gestão do coronel à frente do ICMbio, Salles se incomodava com sua exposição, vista por ele como "excessiva". Cerqueira chegou a ter, inclusive, seu nome cotado para assumir o ministério, em meio à crise constante vivida pelo governo na área do meio ambiente.

O ICMBio é o órgão responsável por exercer o poder de polícia ambiental na fiscalização e proteção das 334 unidades de conservação federais espalhadas por todo o País.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.