Homicídios caem 80% durante Rio+20

Prefeitura também celebra média mais baixa de trânsito e faturamento elevado do setor turístico

Heloisa Aruth Sturm, Marcelo Gomes, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2012 | 03h06

RIO - Se a Rio+20 não alcançou os resultados esperados quanto a medidas concretas em prol da sustentabilidade, ao menos mostrou a capacidade do Rio de Janeiro em dar segurança aos 110 mil visitantes que estiveram na cidade durante os dez dias do evento.

As regiões onde ocorreram atividades ligadas à Rio+20 registraram quedas bruscas de homicídio doloso (quando há intenção de matar), roubos de veículos e roubos de rua durante o evento em comparação ao mesmo período de 2011. No caso de homicídio, a redução foi de até 80% na comparação entre os dois períodos - fruto do policiamento reforçado, com mais de 20 mil homens.

A cidade registrou ainda trânsito mais livre (redução de até 27% do tempo de deslocamento), efeito dos três dias de ponto facultativo decretados pela prefeitura. A taxa de ocupação da rede hoteleira foi de 95%. No total, o setor turístico movimentou R$ 274 milhões - o evento foi orçado em R$ 430 milhões pelo governo federal.

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Rio 20 Homicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.