Guerrilheiros explodem oleoduto na Colômbia e geram emergência ambiental

Mancha de óleo contaminou diversos rios e afluentes importantes para população local

Efe

17 de agosto de 2010 | 12h31

BOGOTÁ - Um grupo guerrilheiro colombiano dinamitou o Oleoduto Transandino (OTA) na altura do município de Córdoba, no departamento de Nariño, sudoeste da Colômbia, o que gerou um vazamento de petróleo em dois rios da região, informou nesta terça-feira, 17, a Empresa Colombiana de Petróleos (Ecopetrol).

 

O ataque de um suposto grupo insurgente aconteceu na madrugada de domingo e a mancha de petróleo gerada contaminou vários afluentes dos rios.

 

A explosão gerou um incêndio e o derramamento poluiu os rios Sucio e Guamuez. Uma equipe especializada da Ecopetrol lançou boias na água para evitar que a mancha continue afetando outros rios, como o Putumayo.

 

No entanto, os técnicos da companhia petrolífera colombiana não puderam chegar até a zona para conter a emergência ambiental por causa da segurança, pois os guerrilheiros que atacaram o oleoduto permanecem no lugar.

 

Além disso, pediram que os moradores dos municípios vizinhos não consumam águas dos rios e rejeitaram o ataque terrorista.

 

O oleoduto, de pouco mais de 305 quilômetros de longitude, transporta diariamente 25 mil barris de petróleo extraídos de jazidas na região vizinha do Putumayo com destino ao porto de Tumaco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.