Guarda Costeira americana volta atrás sobre novo vazamento no Golfo

Comandante disse que equipes de patrulhamento não puderam confirmar derrame após explosão

AP

02 de setembro de 2010 | 18h44

NOVA ORLEANS - A Guarda Costeira americana voltou atrás na informação fornecida anteriormente de que havia um vazamento de petróleo de 1,6 quilômetro de extensão e 30 metros de largura após a explosão de uma plataforma no Golfo do México.

O comandante Cheri Ben-Iesau disse na tarde desta quinta-feira, 2, que equipes de patrulhamento não puderam confirmar o vazamento. A empresa Mariner Energy, que opera a plataforma, informou em comunicado que um sobrevoo inicial pela região não detectou nenhum derrame de óleo.

Ben-Iesau afirmou que o fogo na plataforma já foi controlado e que os 13 trabalhadores resgatados estão bem.

O acidente

A explosão da plataforma de petróleo Vermilion Oil Platform 380 aconteceu 320 quilômetros a oeste da região onde houve o derramamento da British Petroleum. Segundo o porta-voz da Guarda Costeira, John Edwards, nenhuma das 13 pessoas a bordo da plataforma morreu na explosão, que foi detectada por um helicóptero comercial que voava sobre o local. Os sobreviventes foram encontrados flutuando na água com equipamentos de sobrevivência e roupas de proteção.

A plataforma de petróleo em alto-mar, operada pela empresa Mariner Energy, explodiu a cerca de 160 quilômetros da costa do Estado da Louisiana. Os sobreviventes foram resgatados da água pelo navio Crystal Clear e levados para uma plataforma próxima, antes de serem transferidos de helicóptero para o Centro Médico Terrebonne, na cidade de Houma, para exames detalhados.

Sete helicópteros da Guarda Costeira, dois aviões e três barcos foram enviados ao local vindos de Nova Orleans, Houston (Texas) e Mobile (Alabama).

A plataforma não estava produzindo petróleo nem gás, de acordo com o relatório de operações. Melissa Schwartz, porta-voz do Escritório de Administração, Regulamentação e Fiscalização de Energia, disse que a plataforma foi autorizada a produzir petróleo e gás a 105 metros de profundidade, mas não estava em produção ativa ultimamente. Um relatório da empresa disse que o poço foi perfurado no terceiro trimestre de 2008.

A empresa Mariner Energy concentra-se na exploração e produção de petróleo e gás no Golfo do México. Em abril, a Apache Corp, outra companhia de petróleo independente, anunciou planos para comprar a Mariner por US$ 3,9 bilhões em dinheiro e ações, incluindo a liquidação de US$ 1,2 bilhão de dívidas da Mariner.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.