Greenpeace rotula produtos em mercado contra transgênicos

Ativistas exigem rótulo que indique presença de alimentos geneticamente modificados nos itens à venda

Da Redação,

12 de março de 2008 | 13h45

Um grupo de cerca de 15 ativistas do Greenpeace realizou um protesto na manhã desta quarta-feira, 12, no supermercado Prezunic no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, contra a falta de rótulos que indiquem a presença de alimentos geneticamente modificados nos produtos.   Veja também:    Greenpeace pede que MP investigue uso de transgênico   Os integrantes da ONG colaram adesivos com o símbolo da rotulagem (um triângulo amarelo com o a letra T em preto, no meio) em margarinas, maioneses, molhos e bebidas fabricados pelas empresas Bunge e Cargill. Segundo o Greenpeace, tais produtos são fabricados a partir de soja geneticamente modificada.   Os ativistas do grupo pedem o cumprimento da lei que, desde 2004, exige a rotulagem de todo produto alimentício fabricado com 1% ou mais de matéria-prima transgênica.   Na segunda-feira, 10, ativistas protestaram na sede da Vigor, em São Paulo, se acorrentando na porta principal da sede da empresa para pressioná-la a informar se usa ou não matéria-prima transgênica.

Tudo o que sabemos sobre:
Greenpeacetransgênicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.