Greenpeace México lança dez mandamentos do sexo ecológico

Apague as luzes, use ecolubrificantes e coma frutas afrodisíacas orgânicas são algumas das dicas

Efe

02 Setembro 2008 | 19h17

A organização ambientalista Greenpeace do México lançou na internet um conjunto de dez regras para o sexo com respeito ao meio ambiente, que se tornou o conteúdo mais visitado de sua página na web, informaram nesta terça-feira, 2, fontes da entidade.   A porta-voz do Greenpeace México, Cecilia Navarro, disse à Efe que o material, lançado no dia 5 de agosto, teve 8.885 visitas das 95 mil que recebeu o site neste mês.   As regras, intituladas "Guia Greenpeace para um sexo amigável com o meio ambiente", é apresentado aos internautas com o slogan "ser verde nunca foi tão erótico" e começa com uma das recomendações mais elementares: "apague as luzes."   O segundo conselho, "frutas da paixão... Livres de agrotóxicos", sugere que quando o usuário decida consumir guaraná, amoras, framboesas, cerejas ou outros frutos afrodisíacos, certifique-se que esses sejam orgânicos.   "Amor a qualquer preço?" propõe aos amantes que apóiem projetos sustentáveis de comunidades produtoras de óleos e sabonetes biodegradáveis "com aromas que enlouquecem a paixão", no lugar de consumir com a mesma finalidade "ostras e mariscos", porque estão desaparecendo dos oceanos.   A lista tem uma referência ao "amor reciclado", que sugere usar embalagens usadas para guardar preservativos e outros acessórios no quarto.   "Use ecolubrificantes" é o quinto conselho, que sugere a utilização de produtos à base de água, e não de petróleo, e lembra que a saliva é o melhor lubrificante natural.   O sexto ponto se intitula "escravo da paixão, não do petróleo" e adverte contra o risco de usar brinquedos fabricados com PVC, um material que gera "alguns dos produtos químicos mais tóxicos que existem: dioxinas e furanos."   "Salvar a água com um amigo" propõe que os amantes compartilhem o banho, e "cama sustentável" recomenda que eles se certifiquem que a base seja feita de madeira legal.   O nono ponto, "sexo verde", propõe fazer uso de óleo para massagem e roupas íntimas orgânicas.   E o último, mas não menos importante, diz: "faça amor, não guerra."

Mais conteúdo sobre:
Greenpeace sexo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.