Jacques Demarthon/AFP
Jacques Demarthon/AFP

Greenpeace protesta contra exploração de petróleo na foz do Amazonas

Ativistas do grupo derramaram melaço na frente da sede da Total, em Paris; para organização, projeto coloca em perigo recife de corais

O Estado de S.Paulo

27 Março 2017 | 04h58

PARIS - Ativistas do Greenpeace derramaram 3 mil litros de melaço na porta da sede da petroleira Total, em Paris, na manhã desta segunda-feira, 27, para protestar contra um projeto de exploração na foz do Rio Amazonas, no Amapá.

Um total de 15 ativistas jogaram o melaço na entrada do prédio na capital francesa e gritaram palavras de ordem como "Total, ameaça oficial do Amazonas" e "Salvemos o arrecife do Amazonas".

"Esta é uma ação simbólica, simulamos uma maré negra como se fosse uma mensagem de devolução do remetente. Queremos lançar uma mensagem bastante forte", disse à agência AFP um dos ativistas, que pediu para não ser identificado. Ao menos 20 policiais acompanharam de longe o protesto.

O projeto de exploração petroleira está previsto para começar a funcionar no decorrer deste ano.

Para o Greenpeace, o projeto coloca em perigo um recife de corais descoberto em 2016 no litoral norte brasileiro, onde o Amazonas desemboca no Oceano Atlântico. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.