Greenpeace e U2 se unem pelas florestas brasileiras

Para Rafael Cruz, do Greenpeace, U2 vem ao Brasil em momento crucial para a discussão florestal

Gustavo Bonfiglioli,

07 de abril de 2011 | 20h36

A banda irlandesa U2 também é conhecida pelo ativismo sócio-ambiental que pratica, especialmente pela figura do vocalista Bono Vox. Na turnê 360º, que passa pelo Brasil a partir deste sábado, o Greenpeace vai estar presente nas apresentações da banda em São Paulo, com um estande para distribuição de material sobre a preservação das florestas brasileiras e exibição de vídeo.

 

Rafael Cruz, coordenador das campanhas de florestas do Greenpeace no Brasil, acredita que a banda vem ao país em um “momento crucial”, referindo-se às negociações em Brasília para aprovação de um novo projeto para o Código Florestal, do deputado Aldo Rebelo (PCdoB - SP). “A proposta da bancada ruralista é um símbolo do retrocesso ambiental no país. A vinda do U2 vai espalhar a importância das florestas brasileiras, e pode ajudar a conscientizar os brasileiros da importância da lei florestal.”

 

A parceria da ONG com a banda tem o objetivo de “potencializar a mensagem ambiental”. Para Cruz, “A palavra de um ídolo pode fazer com que os membros de uma sociedade comecem a prestar atenção aos temas que são relevantes para ela”. Os shows do U2 serão todos em São Paulo, no Estádio do Morumbi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.