Greenpeace bloqueia usina nuclear espanhola

Protesto contou com a participação de 60 ativistas e pediu o fechamento das instalações

Efe

20 Novembro 2008 | 16h33

Ativistas do Greenpeace bloquearam nesta quinta-feira, 20, a passagem da entrada principal da usina nuclear de Garoña, na província espanhola de Burgos, com um contêiner, em cujo interior há dez ecologistas, enquanto outro grupo se amarrou à porta das instalações para pedir seu fechamento.   Veja também: Consultor defende energia nuclear contra combustíveis fósseis    Com esta ação, a organização exige do Governo "o cumprimento de seu compromisso de fechamento das usinas nucleares e o fechamento imediato dessa central", informou o Greenpeace em comunicado.   O protesto aconteceu dentro de uma ação intitulada "Eu Sou Antinuclear", que conta com a participação de 60 ativistas.   O responsável pela campanha de energia nuclear do Greenpeace, Carlos Bravo, assinalou que "não há nenhum motivo econômico, energético, meio ambiental ou social" que pode ser usado pelo Governo para "descumprir seu compromisso de fechar Garoña e as demais usinas nucleares".   Garoña, inaugurada em 1971, "está totalmente amortizada há anos, e é uma usina nuclear obsoleta, afligida por graves problemas de segurança", segundo o comunicado do Greenpeace.

Mais conteúdo sobre:
Greenpeacenuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.