Grandes emergentes são contra cortar emissões em 50%

China, Índia, Brasil e África do Sul se mostram contrários à aceitação da meta de redução até 2050

REUTERS

02 Dezembro 2009 | 14h58

China, Índia, Brasil e África do Sul se opõem ao estabelecimento de uma meta de redução pela metade das emissões de CO2 até 2050 na conferência climática a ser realizada em Copenhague na semana que vem, afirmaram diplomatas europeus nesta quarta-feira, 2.

 

Veja também:

link México pedirá a criação do 'Fundo Verde' em Copenhague

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especial Entenda as negociações do novo acordo

 

Um documento dos quatro grandes países em desenvolvimento ainda diz que eles são contrários a um pico das emissões até 2020 e a um limite de no máximo 2 graus Celsius para o aquecimento global acima da temperatura da era pré-industrial, segundo os diplomatas.

"O documento é defensivo. Ele define os limites para essas economias emergentes", disse à Agência Reuters um diplomata europeu ciente do conteúdo do documento. Muitos países em desenvolvimento apoiam as metas rejeitadas pelos quatro países.

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTE EMERGENTES RECUSAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.