Paulo Flores/Divulgação
Paulo Flores/Divulgação

Grande número de filhotes surpreende em monitoramento de baleias-franca

Primeira contagem anual revelou 30% de filhotes no total de animais, proporção anormal para o mês de julho

Manuel Cunha Pinto , estadao.com.br

02 de agosto de 2010 | 17h50

O primeiro dos três sobrevoos anuais de monitoramento das baleias francas no litoral catarinense chamou a atenção de especialistas pela grande quantidade de filhotes avistados - foram treze, ao todo. O número corresponde a 30% do total de 37 animais contabilizados na ação realizada pelo Projeto Baleia Franca (PBF-Brasil) com participação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na última quinta-feira (29).

 

Segundo Karina Groch, diretora de pesquisa do PBF-Brasil e PhD em Biologia Animal, é comum o registro de muitos animais na área pesquisada, entre o sul de Santa Catarina e o norte do Rio Grande do Sul. O que causou surpresa foi o aparecimento de tantos filhotes nesta época do ano. "Esta é a proporção que geralmente é registrada em setembro, quando a maioria das francas do nosso litoral já deu à luz", explicou a pesquisadora. Os sobrevoos são realizados no fim de julho, em setembro e em novembro. Os números encontrados no primeiro registro normalmente não são referência para a expectativa da temporada, como demonstram os dados de 2006. Naquele ano, que teve um recorde de 197 animais avistados, apenas onze baleias foram contadas em julho.

 

No momento, os especialistas buscam explicação para o fenômeno do aparecimento precoce dos filhotes. As fotografias das baleias avistadas serão usadas para a identificação dos animais, que retornam ao litoral sul brasileiro a cada três anos. Respostas sobre o ocorrido só poderão ser elaboradas quanoo o ciclo migratório das baleias-franca se encerrar, em novembro, época em que todas as informações referentes à temporada estiverem reunidas.

 

Clique aqui e confira um especial sobre baleias.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
baleia-francameio ambienteplaneta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.