REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

Governo vai adotar novo modelo de monitoramento do desmatamento, diz Salles

Segundo o ministro do Meio Ambiente, sistema terá imagens de satélite em alta resolução feitas em tempo real

Daniel Weterman e Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2019 | 17h59

BRASÍLIA - O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, anunciou nesta quinta-feira, 1º, que o governo vai adotar um novo modelo de monitoramento do desmatamento no País, após a equipe do presidente Jair Bolsonaro contestar dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) com base no sistema Deter.

O novo sistema, de acordo com o ministro, terá imagens de satélite em alta resolução feitas em tempo real e sem o que identificou como "lapso temporal" no atual modelo. O ministro afirmou que o serviço alertou em junho ocorrências de desmatamento que, na verdade, teriam acontecido em período anterior, e não naquele mês.

Além disso, Salles prometeu equipar o corpo técnico do Inpe com servidores permanentes. Atualmente, citou, bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é que fazem o monitoramento. O presidente Jair Bolsonaro, na coletiva de imprensa feita no Palácio do Planalto, defendeu responsabilizar pessoas que tenham divulgado dados alarmantes com objetivo de prejudicar o governo e a imagem do País.

"Não estamos aqui para negar números e nem justificar coisas que tenham sido feitas de maneira ilegal", disse o ministro, reforçando que o desmatamento na Amazônia vem aumentando desde 2012. Ele defendeu "muita responsabilidade na divulgação das informações e compromisso na divulgação desses números".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.