Governo pede adiamento da votação do código

Risco de derrota para bancada ruralista na questão das APPs faz Executivo retroceder

11 Maio 2011 | 23h04

O governo pediu o adiamento da votação do Código Florestal. "Não vamos para a votação no escuro", disse, sob vaias das galerias, o líder do Executivo, Cândido Vaccarezza (PT-SP). Ele afirmou que não aceitaria a aprovação de um texto que a presidente Dilma Rousseff não se sinta "confortável" em sancionar. 

Pouco antes, o relator Aldo Rebelo (PCdoB) tinha subido à tribuna e dedicado seu texto aos agricultores  “pequenos, médios e grandes”. Confiante na maioria, a bancada ruralista anunciou que retiraria do texto a proteção mais rígida, negociada por Aldo com o governo, às Áreas de Preservação Permanente (APPs) localizadas nas margens de rios.

Veja também:

blog Acompanhe a cobertura também pelo blog do Planeta

documento Íntegra da proposta do Novo Código Florestal

video TV Estadão: Entenda o novo Código Florestal

lista A polêmica atualização do Código Florestal do Brasil

lista Confira o texto do relator Aldo Rebelo

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, esteve reunida com Vaccarezza para conhecer a versão final do relatório. Ela não quis fazer comentários sobre o texto. O líder do PT, Paulo Teixeira (SP), disse que o governo estava unido para manter o relatório negociado com Aldo, segundo o qual a questão das APPs será regulamentada por meio de decreto federal.

A oposição se dividiu. Enquanto o PSOL tentava tirar o projeto da pauta, o PSDB decidiu pela manutenção da votação.

Com informações da Agência Câmara

Mais conteúdo sobre:
código florestal

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.