Governo da Austrália anuncia ratificação ao pacto de Kyoto

Decisão isola os Estados Unidos, a única nação desenvolvida que não ratificou o protocolo

James Grubel, da Reuters,

03 de dezembro de 2007 | 07h56

O novo primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, assumiu o cargo nesta segunda-feira, 3, e imediatamente assinou documentos para ratificar o Protocolo de Kyoto, encerrando a oposição de uma década do país ao pacto de clima.  Veja também: EUA ficam isolados na oposição a Kyoto, e não ligam Conferência da ONU sobre o clima tenta novo acordo Isolados contra Kyoto, EUA defendem novo tratado ambiental    A decisão isola os Estados Unidos, que serão agora a única nação desenvolvida do mundo a não ter ratificado o protocolo. Kyoto estabelece limites aos países desenvolvidos para emissão de gases poluentes, responsáveis pelo aquecimento global. "Este é o primeiro ato oficial do novo governo australiano, demonstrando o compromisso do meu governo a lidar com as mudanças de clima", disse Rudd em nota. Cientistas disseram que a medida é um importante passo para a Austrália e dá um sinal claro a Washington. "Agora a América não tem desculpa. É o único país do mundo que não ratifica Kyoto, eles são os maiores responsáveis pelo problema e não estão assumindo sua responsabilidade", afirmou Barry Brook, professor de estudos climáticos da Universidade de Adelaide. Rudd, 50, liderou o Partido Trabalhista à vitória nas eleições de 24 de novembro, encerrando quase 12 anos de governo conservador.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalAustráliaKyoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.