Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Governadores saem em defesa do Fundo Amazônia

Chefes do Executivo de oito Estados da Amazônia Legal divulgaram carta em que definem metas para a região

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2019 | 23h08

Os governadores dos oito Estados da Amazônia Legal divulgaram nesta sexta-feira, 2, uma carta conjunta, em que definem metas para a região. No documento, assinado após encontro em Palmas, eles manifestaram “preocupação com o avanço do desmatamento ilegal” na floresta e saíram em defesa do Fundo Amazônia, alvo de críticas da gestão Bolsonaro. 

Eles reivindicam que as ações relativas ao fundo sejam tratadas com “celeridade”, para atender a demandas regionais, com “participação efetiva” de todos os Estados. O fundo foi criado em 2008 com R$ 3,2 bilhões doados pela Noruega e R$ 200 milhões pela Alemanha para financiar projetos de redução do desmate. Entre os principais objetivos do grupo de governadores está elevar a competitividade dos setores florestal, agropecuário, industrial e turístico da Amazônia. 

Diretor do Inpe é exonerado

Nesta sexta-feira, o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricardo Galvão, que esteve no centro da polêmica com o presidente Jair Bolsonaro sobre os dados que mostram alta do desmatamento da Amazônia, foi exonerado do cargo

O pesquisador entrou no Inpe em 1970 e cumpriria mandato até 2020. Ele deixa a direção do instituto após duas semanas de intenso bombardeio por parte do governo às informações do instituto que mostram que desde maio os alertas de desmatamento da Amazônia dispararam, atingindo em julho o valor mais alto desde 2015 para um único mês. O desmatamento observado pelos alertas entre agosto de 2018 e 31 de julho deste ano é 40% maior do que no período anterior, conforme o Estado mostrou na quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.