Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Governador de Mato Grosso pedirá envio da Força Nacional para ajudar a combater incêndio no Pantanal

Queimadas já atingiram 15% da área total da região; Ministério da Justiça informou que ainda está estudando de que forma dará apoio ao Estado

Jussara Soares, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2020 | 21h08

BRASÍLIA - O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), formalizará nesta segunda-feira, 21, um pedido ao Ministério da Justiça e Segurança Pública para o envio da Força Nacional para atuar no combate às queimadas no Pantanal e em outras regiões do Estado. Segundo o governo mato-grossense, o governo federal já sinalizou que atenderá a solicitação.

De acordo com o secretário-chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Mauro Carvalho, a informação do envio da Força Nacional foi confirmada pelo secretário especial adjunto da Secretaria Especial de Assuntos Federativos da Secretaria de Governo da Presidência da República, Júlio Alexandre. Procurado pelo Estadão, o Ministério da Justiça informou que ainda está estudando de que forma dará o apoio aos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso Sul. 

"O governador vai solicitar já de manhã todo o apoio de estrutura e de pessoas para contribuir com o combate aos incêndios em todo o estado de Mato Grosso. Já temos o apoio do Exército, que está na região do Araguaia, temos o apoio da Marinha, que está no Pantanal, mas a Força Nacional vem somar mais esforços no combate aos focos de incêndios", disse Carvalho ao Estadão.

De acordo com o secretário, a Defesa Civil informou que houve uma redução de 20% dos focos de incêndios de sábado para domingo graças às chuvas na região.  Carvalho afirmou que ainda não há dados sobre a estrutura e o número de efetivo a ser deslocado para o estado. "Vamos priorizar as áreas que têm mais necessidade hoje. Em função das chuvas, tem áreas que já não tem tanta necessidade como na semana passada. Uma reunião estratégia vai definir os locais onde a Força Nacional vai atuar",  disse o secretário. 

As queimadas já atingiram 15% da área do Pantanal.  Na semana passada, o governo mandou o ministro Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, a Mato Grosso, anunciar recursos. Ao todo, a pasta liberou R$ 13,9 milhões para o enfrentamento das queimadas.  De acordo com o Ministério da Defesa, as Forças Armadas coordenam operação de combate aos incêndios que emprega, neste momento, 542 profissionais.

Neste domingo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes usou sua conta no Twitter para criticar as queimadas no Pantanal. "As queimadas no Pantanal representam um risco crítico ao bioma. Animais estão morrendo. Milhares de famílias que sobrevivem do Rio Paraguai, que já atingiu seu menor nível em 50 anos, estão em risco", escreveu. Para Mendes, é preciso reverter o quadro "de descaso pela política ambiental".

Tudo o que sabemos sobre:
meio ambienteretomada verde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.