Gorila vira 'cinegrafista' em centro de conservação britânico

Especialistas entregam câmera de alta definição a símio que capta imagens de si mesmo e do seu ambiente

BBC Brasil, BBC

13 Julho 2011 | 07h57

Um experimento feito por pesquisadores do Centro de Conservação Durrell, na ilha britânica de Jersey, permitiu que um gorila registrasse imagens de si mesmo e do ambiente em que ele vive.

O gorila Ya Kwanza, de 27 anos, é um dos mais fotografados do centro de conseravação e foi presenteado com uma câmera de alta definição instalada dentro de uma caixa ultra-resistente.

A caixa contendo a câmera foi coberta pelos pesquisadores com mel e aveia, a fim de estimular o animal a mexer no equipamento e, assim, dar vazão à sua ''veia artística''.

Nas imagens captadas por Ya Kwanza, o fotogênico símio fez close-ups de si mesmo e registrou cenas a seu redor.

A ideia de transformar Ya Kwanza em um cinegrafista improvisado foi de um dos especialistas do centro de conservação, Jon Stark, que toma conta dos gorilas do local há quatro anos.

Stark afirma que o que norteou o projeto foi ver como era a vida sob a perspectiva do primata. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.