Google vai usar energia eólica em seus centros de dados

A Google Energy começará a comprar energia eólica em 30 de julho

REUTERS

20 Julho 2010 | 16h24

A unidade de energia do Google fez um acordo para comprar energia eólica da ExtEra Energy pelos próximos 20 anos, para alimentar seus centros de dados.

 

O acordo vem menos de três meses depois de a gigante da internet ter investido US$ 38,8 milhões em duas fazendas de vento em Dakota  do Norte, desenvolvidas pela NextEra Energy Resources, e que gera energia suficiente para alimentar 55.000 lares.

 

A Google Energy começará a comprar energia eólica em 30 de julho, disse Urs Hoelze, vice-presidente sênior de operações do Google, em um blog.

 

"Incorporar uma quantidade dessas de energia eólica em nosso portfólio é complicado, mas essa energia é suficiente para abastecer diversas centrais de dados", acrescentou. O Google vem estimulando iniciativas contra a mudança climática por meio de seu braço filantrópico, o Google.org.

 

A empresa havia afirmado, em 2007, que iria investir em companhias e faria pesquisa própria para produzir energia renovável a preços competitivos. A unidade Google Energy, formada em dezembro de 2009, permite que a companhia adquira grandes quantidades de energia renovável no mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.