Gelo flutuante do mundo está em 'retração constante', mostra estudo

Perda do gelo sobre o mar pode estimular o aquecimento global

Reuters

28 Abril 2010 | 16h53

O gelo flutuante do mundo está em "retração constante", apresentando uma instabilidade que aumentará o nível global dos oceanos, de acordo com um relatório publicado na revista científica Geophysical Research Letters nesta quarta-feira.

 

O gelo flutuante tem desaparecido a uma taxa constante nos últimos 10 anos, de acordo com a primeira medição desse tipo.

 

"É um número alto", disse o professor Andrew Shepherd, da Universidade de Leeds, autor principal do estudo, estimando a perda líquida de gelo flutuante marinho e de plataformas de gelo na última década em 7.420 quilômetros cúbicos.

      

Isso representa mais do que a perda dos mantos de gelo da Groenlândia e da Antártida ao mesmo tempo, salientando o impacto do aquecimento dos oceanos sobre o gelo flutuante.

 

O derretimento do gelo varia do inverno para o verão. Os cálculos do relatório dizem respeito à perda líquida ao longo da década passada.

 

"Há uma taxa constante de retração (anualmente)", disse Shepherd. "É um processo rápido e não há motivo para que não aumente ao longo do próximo século."

  

O estudo não lançou nova luz sobre quando o Polo Norte poderá não ter gelo no verão, o que muitos especialistas em clima preveem para 2050, ou mesmo antes.

 

O derretimento do gelo flutuante marinho e das plataformas de gelo pouco contribui para o aumento do nível dos oceanos, porque toda a massa deles já está na água. Por outro lado, o gelo sobre a terra que derrete para o mar soma-se aos níveis conforme o equivalente de seu peso.

 

Se todo o gelo flutuante do mundo derretesse, isso aumentaria em cerca de 4 centímetros o nível dos oceanos. Mas isso poderia ter um efeito maior ao desbloquear geleiras sobre a terra, que então poderiam deslizar mais rápido para dentro do mar, e também porque as águas abertas refletem menos a luz solar que o gelo, aquecendo a área local.

 

Se todo o gelo polar do mundo derretesse, isso aumentaria o nível dos oceanos em cerca de 70 metros, estimam cientistas. "Estamos passando para uma era onde o gelo marinho e as plataformas de gelo estão sumindo por causa da elevação da temperatura", disse Shepherd.                                

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.