Gases-estufa representam perigo à saúde, alertam os EUA

Agência de Proteção do Meio Ambiente anunciará autorização para regular as emissões de gases no País

AP e Reuters,

07 Dezembro 2009 | 13h24

Um oficial da Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos disse à Associated Press nesta segunda-feira, 7, que o órgão concluiu que os gases responsáveis pelo efeito-estufa representam um perigo à saúde das pessoas e devem ser regulamentados.

 

Veja também:

linkONGs devem pressionar governos por acordo climático

linkBrasil, Índia e China têm minuta comum para Copenhague

blog A Antártida que vai a Copenhague

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo   

especialRumo à economia de baixo carbono

 

A Agência anunciará nesta segunda-feira as conclusões da descoberta e fortalecerá o discurso de Obama na cúpula da ONU sobre as mudanças climáticas em Copenhague, demonstrando que o governo norte-americano está disposto a adotar medidas para combater o aquecimento global, mesmo com o Congresso do país ainda não ter aprovado a legislação sobre o clima.

 

Também será anunciado que a Casa Branca aprovou um projeto da Agência de Proteção Ambiental que autoriza o órgão a estipular regras que regulem as emissões de gases causadores do efeito estufa no país, disse uma autoridade do governo norte-americano nesta segunda-feira, 7.

O projeto aprovado pela Casa Branca permite que a EPA determine regras para regular as emissões mesmo que o Congresso não aprove uma legislação para cortar as emissões dos gases causadores do aquecimento global.

O anúncio acontecerá no mesmo dia da abertura da conferência de clima da ONU em Copenhague. O presidente norte-americano, Barack Obama, que fez do combate às mudanças climáticas uma prioridade de seu governo, pretende participar do encontro nos últimos e decisivos dias da reunião de duas semanas.

A votação da lei ambiental dos EUA tem sido atrasada pelo Senado enquanto os parlamentares debatem a reforma no sistema de saúde, mas os senadores esperam votar o projeto para o clima em março. A lei foi aprovada por margem estreita na Câmara dos Representantes em junho.

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTEEUAANUNCIo*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.