G-77 pede mais tempo para chegar a posição comum na COP-15

UE reconhece importância do grupo que reúne países como Brasil, China e Índia na discussão do acordo

Priscila Arone, da Agência Estado,

16 Dezembro 2009 | 14h37

A conferência sobre o clima em Copenhague atingiu um ponto "delicado" na medida em que o Grupo dos 77 (que reúne potencias emergentes e países pobres, dentre eles, Brasil, China e Índia) considera que precisa de mais tempo para chegar a uma posição comum, disse a ministra do Meio Ambiente da Espanha, Elena Espinosa.

 

Veja também:

link Hugo Chávez diz que COP é reflexo da 'ditadura imperialista'

linkUE apela à China e EUA para que COP tenha êxito  

linkEmergentes se opõem a texto dinamarquês de acordo climático

blog Blog da COP: o dia a dia na cúpula

especialCOP-15, passo a passo

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo  

 

A União Europeia começou a reconhecer que a pressão sobre o G-77 é muito grande, tendo em vista que o grupos de países em desenvolvimento não é muito homogêneo, acrescentou ela em declarações a jornalista em Copenhague após uma reunião de coordenação do bloco.

 

Espinosa disse que a ajuda a países em desenvolvimento precisa ser intensificada. "Uma das questões que temos de resolver é o financiamento internacional que precisamos estabelecer para ajudar todos os países em desenvolvimento", disse ela.

 

Segundo Espinosa, ainda é cedo para dizer se Copenhague vai resultar num acordo fraco ou "descafeinado". As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
G-77 COP Copenhague cupula ONU clima

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.