Furacão Irene atingirá cidades e resorts na Costa Leste dos EUA

O estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, se preparava na sexta-feira para ser atingido diretamente pelo furacão Irene, enquanto cidades ao longo da Costa Leste norte-americana se mantinham em alerta e milhões de pessoas cancelavam a ida à praia de final de semana para escapar da tempestade.

JIM BRUMM, REUTERS

26 Agosto 2011 | 09h07

Com mais de 50 milhões de pessoas potencialmente no caminho do Irene, os moradores estocavam alimentos e água e procuravam deixar as casas, veículos e barcos seguros. Estados, cidades, portos, refinarias de petróleo e usinas nucleares ativavam planos de emergência.

As enchentes causadas pelo furacão mataram ao menos uma pessoa em Porto Rico e duas na República Dominicana. A tempestade provocou o corte da energia na capital das Bahamas, Nassau, e bloqueou estradas devido à queda de árvores.

Após castigar as Bahamas na quinta-feira, o Irene deve atingir a Carolina do Norte no sábado, antes de seguir adiante pela costa para Nova York e além.

O furacão enfraqueceu levemente no início da sexta --de categoria 3 para categoria 2 na escala Saffir-Simpson de cinco níveis-- mas ainda sustentava ventos de até 175 quilômetros por hora.

Por volta das 6h (horário de Brasília), o centro do furacão estava localizado a cerca de 675 quilômetros sul-sudoeste de Cabo Hatteras, na Carolina do Norte.

"É possível que haja alguma reintensificação hoje. O Irene deve ficar próximo do limite entre um furacão categoria 2 e um categoria 3 quando se aproximar da costa da Carolina do Norte", disse o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (CNF).

Pessoas no litoral da Carolina do Norte e em balneários de praia na Virginia, em Delaware e em Maryland já estavam sendo retiradas. Companhias aéreas começaram a cancelar voos em aeroportos no leste, planejaram mudar os jatos da região e encorajar os viajantes a considerar o adiamento de viagens.

"Todas as grandes áreas metropolitanas no nordeste serão impactadas", disse o diretor do CNF, Bill Read, à Reuters Insider.

O governador da Virginia, Bob McDonnell, instou moradores a buscarem abrigo na sexta-feira antes da chegada dos fortes ventos. O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, disse que a cidade mais populosa dos EUA estava se preparando para condições de tempestade e enchentes a partir de domingo, e pediu nesta sexta que moradores de áreas vulneráveis fossem para locais seguros.

Em Washington, o furacão forçou o adiamento da cerimônia de domingo no novo memorial em honra ao líder de direitos civis Martin Luther King Jr. Dezenas de milhares de pessoas participariam, incluindo o presidente Barack Obama.

Prevendo danos severos na Carolina do Norte, Obama declarou situação de emergência na quinta, autorizando liberação de ajuda federal para apoiar a resposta do estado. Os governadores da Carolina do Norte, Virginia, Maryland, Delaware, Nova Jersey, Nova York e Connecticut também declararam emergência.

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTEIRENEEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.