Acervo/Funai/2017
Acervo/Funai/2017

Funai divulga vídeo de índios isolados no Vale do Javari, no Amazonas

Imagens feitas com drone permitem observar dois indígenas caminhando por uma clareira; fotos também mostram indícios da presença deles, como um machado, uma maloca e canoas

O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2018 | 17h46

Expedição da Fundação Nacional do Índio pela região do Vale do Javari, no sudoeste do Amazonas, perto da fronteira com o Peru, constatou novas evidências da presença de índios isolados que vivem na região. A Funai divulgou nesta terça-feira, 21, um vídeo feito com drone de uma clareira, pela qual é possível ver dois indígenas andando.

O material foi obtido em uma expedição realizada entre 16 de julho e 1° de agosto por regiões de difícil acesso. Foram mais de 180 quilômetros com o uso de meios de transporte (barcos, caminhonetes  e motos) e outros 120 quilômetros a pé, dentro da mata densa. 

As evidências de movimentação dos índios foram encontradas nesta segunda etapa da expedição, na região dos afluentes dos rios Jutaí e Juruazinho. Este último fica entre duas terras indígenas (TI) – a Vale do Javari e a Mawetek. 

No site da entidade foram publicadas também fotos de uma maloca, um machado, uma buzina e canoas produzidos pelos indígenas e feitas no ano passado.

A expedição terrestre – a terceira realizada em menos de um ano região – e dois sobrevoos fazem parte de um projeto de monitoramento dos índios isolados. A Vale do Javari é a segunda maior terra indígena do País e é ocupada por seis povos contatados (Matsés, Matis, Marubo, Kanamari e Kulina-Pano) e dois de recente contato (Korubo e Tsohom Djapa).

Há dezesseis registros em estudo de índios isolados, sendo que 11 já foram confirmados. É a maior quantidade de registros confirmados de grupos de índios isolados do país. 

A região vem sofrendo uma série de ameaças de madeireiros, garimpeiros, caçadores e pescadores, como revelou a reportagem especial “Cerco aos Isolados”, publicada no ano passado pelo Estado. Também há a suspeita de que um massacre ocorreu no ano passado na região, com a morte de dez índios isolados. Os corpos, porém, nunca foram encontrados.

Na expedição mais recente, a equipe da Funai registrou a “presença assídua de caçadores” em igarapés afluentes do rio Juruazinho. De acordo com a fundação, foram flagradas duas equipes de caça próximas aos limites da Vale do Javari. Os animais foram recuperados e soltos novamente. Três proprietários de terra que estavam empurrando suas cercas para dentro dos limites da TI Mawetek também foram advertidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.