Jonathan Nimerfroh
Jonathan Nimerfroh

Fotógrafo registra ondas congeladas nos Estados Unidos

Imagens foram feitas em Nantucket, Massachusetts; 'estava absolutamente silencioso', disse Jonathan Nimerfroh

New York Times

27 Fevereiro 2015 | 22h21

Na última sexta-feira, 20, o fotógrafo Jonathan Nimerfroh foi à praia em Nantucket, Massachusetts, e viu algo pouco comum: ondas congeladas.

"Eu vi algo realmente bizarro," disse Nimerfroh, que também é surfista. "A neve foi até os meus joelhos. Eu vi essas loucas ondas congeladas. Normalmente, no verão, você pode ouvir as ondas quebrando, mas estava absolutamente silencioso. Era como se eu tivesse tampões em meus ouvidos."

Normalmente, a água congela a 0ºC. Mas o sal do oceano abaixa a temperatura de congelamento - basicamente porque o sal fica no caminho das moléculas de água - para cerca de - 2ºC.

Helen Fricker, pesquisadora do Instituto de Oceanografia Scripps em San Diego, que estuda a dinâmica do gelo na Antártida, disse que as imagens são bonitas, mas uma explicação científica completa estava fora de sua especialidade. 

"Basicamente está muito frio", ela disse. "Você tem ondas. Eu imagino que isso acontece nas bordas do Oceano Ártico. Realmente não posso dizer mais do que isso. É o congelamento do oceano." 

Sexta-feira foi um dia excepcionalmente frio em Nantucket, com menos de -12ºC, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos. Se a temperatura foi o único fator, ondas congeladas podem se tornar fenômenos mais comuns. 

"Eu nunca vi ondas congeladas como essas", disse Erin Pettit, um glaciólogo da Universidade do Alasca. Ele acrescentou que ondas no Alasca - em vez de congelar - tendem a quebrar o gelo do mar. "A água calma é o que normalmente congela mais fácil."

No site Reddit, as pessoas se perguntaram se seria possível surfar nas ondas. Possivelmente não porque o gelo é menos denso que a água e um surfista com a prancha afundaria. As ondas podem machucar mais também, como uma bola de gelo atinge com mais força que um balão de água. 

Nimerfroh voltou à praia no sábado, dia que estava ainda mais frio, esperando tirar mais fotos das ondas congeladas. Mas a água havia formado uma camada de gelo. "Nada estava se mexendo", ele disse. "Não havia mais ondas."

Mais conteúdo sobre:
Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.