Arquivo/AE
Arquivo/AE

Fórum internacional em Manaus busca opções sustentáveis para a Amazônia

Aplicação de recursos privados na preservação da floresta será o principal tema do evento

Agência Brasil

26 Março 2010 | 14h35

Empresários, cientistas, ambientalistas, artistas e políticos se reúnem nesta sexta-feira, 26, e sábado em Manaus para buscar um acordo que viabilize ações que permitam a preservação e o desenvolvimento econômico da região amazônica. É o Fórum Internacional de Sustentabilidade. Uma das estrelas dos debates é o ex-vice-presidente dos Estados Unidos e Prêmio Nobel da Paz de 2007, Al Gore.

 

Veja também:

linkAl Gore e James Cameron participam de fórum ambiental em Manaus  

 

Responsável pelos debates, o governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), afirmou que o fórum é o local adequado para que todos apresentem seus pontos de vistas e sugestões. Segundo ele, as divergências que separam ambientalistas e financistas surgirão, mas não ofuscarão as discussões.

 

"Todos têm consciência de que só há um meio para a sustentabilidade da Amazônia: os recursos privados. Não tem outro. O apoio das instituições públicas é grande, mas insuficiente, então temos de encontrar uma forma de viabilizar este processo", disse o governador, que pretende reunir de 400 a 500 pessoas no Teatro Amazonas - uma construção do século 19 considerada uma obra de arte.

 

Determinado a buscar alternativas para a sustentabilidade na Amazônia, Braga descartou o risco de decepção que dominou a Conferência sobre Mudanças Climáticas de Copenhague, na Dinamarca, realizada no ano passado. Segundo ele, a ameaça está afastada porque o fórum de Manaus está sendo realizado em outro momento econômico e político.

 

"No ano passado, os países mais ricos viviam ainda a aura da crise financeira internacional. Agora, o momento é de recuperação econômica. Os Estados Unidos reagem à crise e animam os outros países", afirmou Braga. "Na prática, o entusiasmo reduz quando há uma crise econômica, foi o que houve em Copenhague."

 

Para o governador, é fundamental ainda a participação do ex-vice-presidente dos Estados Unidos e Prêmio Nobel da Paz de 2007, Al Gore. Segundo Braga, Al Gore pode ser um interlocutor de peso em favor da Amazônia. "O ex-vice-presidente é respeitado internamente e externamente no cenário político. Ele sabe e conhece a importância dos temas ambientais. Estou confiante de que vamos poder contar com o apoio do Al Gore."

 

Em 2007, Al Gore e uma organização comandada pelo indiano Rajendra Pachauri receberam o Prêmio Nobel da Paz. A atuação deles na preservação do meio ambiente e a divulgação do conhecimento sobre as mudanças climáticas e seus efeitos no planeta levaram à premiação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.