Floresta do Amapá pode diminuir ou até desaparecer

Tramita na Assembleia Legislativa do Estado a discussão para a redução da Floresta Estadual

Giovana Girardi, O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2014 | 22h32

Flota do Amapá tem área de 2,4 milhões de hectares e uma rica biodiversidade. Crédito: Adriano Gambarini

Vários projetos em nível federal e estadual tentam reduzir novas unidades de conservação. Uma das discussões mais recentes ocorre no Estado do Amapá, que tem 70% do território coberto por áreas protegidas.

Tramita na Assembleia Legislativa do Estado a discussão para a redução da Floresta Estadual (Flota) do Amapá, que ocupa 16% do território do Estado e está integrada com um bloco contínuo de áreas protegidas. Paralelamente, no fim do ano passado houve uma decisão de um juiz federal declarando a inconstitucionalidade da lei que criou a unidade de conservação, uma vez que a terra seria da União.

Ambientalistas alertam para o risco de a mudança trazer consequências como o avanço da grilagem de terras sobre as áreas de florestas sem destinação e a paralisação do processo de transferência de terras da União para o Estado. A discussão ocorre em um momento em que se iniciavam várias ações para o desenvolvimento sustentável da floresta. Para março, está previsto um edital para a concessão de uso da floresta para retirada de madeira legal, o que aumentaria a eficácia da proteção.

Mais conteúdo sobre:
Amapáfloresta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.