Reuters
Reuters

Fitch e Moody's reduzem avaliação de BP por vazamento

Agências americanas de classificação de risco agem diante do derrame de petróleo no Golfo

Efe

03 Junho 2010 | 13h33

LONDRES - As agências de classificação de risco Fitch e Moody's reduziram nesta quinta-feira, 3, a avaliação que atribuem à empresa British Petroleum (BP) diante das consequências do vazamento de petróleo no Golfo do México.

 

Em comunicado, a Moody's considera que o derramamento de petróleo afetará a capacidade geradora de fluxo de caixa da companhia petrolífera e limitará sua capacidade de se concentrar em outras áreas do negócio a curto e médio prazos.

 

A catástrofe começou após a explosão da plataforma Deepwater Horizon no dia 20 de abril e, desde então, a BP busca sem sucesso soluções efetivas para conter o vazamento.

 

O acidente pode ter causado a pior catástrofe ecológica da história, com o vazamento de 12 mil a 19 mil barris de petróleo por dia no mar.

 

Além disso, a agência de medição de risco adverte que a perfuração de poços para desviar o petróleo "também é arriscada e seria necessário muito tempo para o procedimento ser plenamente eficaz".

 

Outro fator que está por trás do rebaixamento na qualificação da BP é, segundo explica a nota, o anúncio do procurador-geral dos Estados Unidos, Eric Holder, sobre uma investigação penal e civil que poderia ter implicações no perfil financeiro da companhia.

 

"A Fitch continua pensando que, como dona de 65% do poço, a BP é a principal responsável por custear as operações de limpeza relacionadas ao acidente da plataforma", informa a agência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.