Taba Benedicto/Estadão
Taba Benedicto/Estadão

Festival de Luzes de São Paulo destaca conceito de economia circular com projeções

Vj Elka apresenta imagens em animação de uso e reuso de materiais entre este sábado e próxima segunda-feira na parte exterior de edifício na região da Avenida Paulista

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2020 | 20h16

SÃO PAULO - Mais uma atração ganha destaque na terceira edição do Festival de Luzes de São Paulo neste fim de semana prolongado do feriado de Nossa Senhora Aparecida. Desta vez, a projeção Tudo se transforma o tempo todo, realizada pela artista Elka Andrello, conhecida como VJ Elka, deixa a capital paulista mais colorida e iluminada. A animação inédita relaciona a economia circular ao conceito de encarnações de objetos, criados e recriados com plástico.

"O ponto de partida é a economia circular, a questão da reciclagem, material morrer e renascer. Com essa ideia, eu trouxe a ideia de reencarnação. Os objetos ganham vida, se reciclam e se transformam como se tivessem várias encarnações. Eles conversam com imaginário das pessoas, que identificam objetos de plástico, como pente da infância, por exemplo. As imagens começam super distorcidas, depois os objetos vão girando e tomando forma", disse a VJ Elka.

São utilizadas técnicas de ilustração, estêncil, com ilusão de ótica e mapping 3D, formando um fluxo de imagens coloridas em loop, de maneira a representar o processo circular de uso e reuso dos materiais de forma consciente e divertida.

"Os objetos em 3D ficam dançando, derretendo e ressurgindo. Temos textos conversando com as pessoas. Jeito leve e divertido de transmitir a mensagem. As coisas não precisam ir para o lixo comum, virar poluição, podem ter recomeço", destacou a artista.

O trabalho está sendo projetado na parte exterior do Edifício Anchieta, no cruzamento da Avenida Paulista com a Rua da Consolação, no centro expandido da capital paulista, a partir deste sábado, 10, até segunda-feira, 12, entre 19h e 23h59.

O objetivo do trabalho também é educar as crianças sobre a importância da sustentabilidade. "Ser algo natural para elas. O esquisito é jogar coisas fora. O normal é reciclar, dando fim sustentável para os produtos consumimos. Uma boneca pode virar um telefone. Isso não é desperdício, é transformação", acrescentou Elka.

Em parceria com a Virada Sustentável, o Festival de Luzes de São Paulo mistura arte, tecnologia e arquitetura. Contará com mais de dez atrações, assinadas por artistas, que incluem projeções mapeadas,intervenções com luzes, além de workshop. 

No último fim de semana, assinada pela dupla de artistas VJ Suave, formada pela argentina Ceci Soloaga e o paulistano Ygor Marotta, a obra de abertura teve como tema o consumo consciente e a reciclagem de lixo. Também foi projetada na parte exterior do Edifício Anchieta.

Com temas inspirados no meio ambiente, o evento neste ano ocorre até 8 de novembro. Para evitar aglomerações por causa da pandemia do novo coronavírus, as projeções também são transmitidas pelos perfis @viradasustentavel e @luzes.SPdo Instagram, além de poderem ser vistas ao ar livre. O evento é público e gratuito.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.