FedEx aposta em energia alternativa para entrega nos EUA

Famosa Rota 66, entre Chicago e Los Angeles, foi leita para demonstração de caminhão elétrico da companhia

estadao.com.br

07 Abril 2010 | 15h57

A empresa americana de transporte expresso de correspondências e mercadorias FedEx anunciou a expansão de sua frota de veículos com energia alternativa com os primeiros caminhões de entrega de remessas totalmente elétricos da  companhia, nos Estados Unidos.

 

Quatro caminhões elétricos customizados devem começar a rodar na área de Los Angeles em junho de 2010, unindo-se a mais de 1.800 veículos com energia alternativa já em serviço para a  FedEx em todo o mundo.

 

“Em 2004, fomos a primeira empresa global a investir em caminhões comerciais híbrido-elétricos, e agora implementamos os caminhões de entrega de remessa totalmente elétricos, que são ainda mais limpos", diz o vice-presidente de Veículos Globais da FedEx Express, John Formisano.  

 

Em vez de criar tecnologia própria, a FedEx procurou soluções no mercado que possam ser rapidamente adotadas para operadores de caminhões de entrega. A empresa está comprando seus primeiros veículos norte-americanos totalmente elétricos de dois fornecedores diferentes para avaliar a tecnologia e o desempenho, conforme as exigências nas entregas da FedEx Express na área de Los Angeles. 

 

Dois dos novos caminhões elétricos foram produzidos pela montadora Navistar. Eles foram baseados no design do Modec, já em operação pela FedEx na Europa. Dez desses veículos Modec  atendem a rotas da FedEx em Londres e outros cinco foram encomendados para Paris.  

 

Outros dois veículos elétricos estão sendo comprados de um fabricante diferente, para entrega na área de Los Angeles no final de 2010. Os veículos foram projetados com alcance para permitir que a bateria dure por turnos de oito horas de entrega, antes que precise ser reabastecida. 

 

Um protótipo totalmente elétrico da Navistar foi lançado em Chicago, dando início a um tour de demonstração da tecnologia. O veículo cruzou trechos da histórica Rota 66, entre Chicago e Los Angeles.  

 

Presidente da FedEx, Frederick W. Smith exigiu no senado americano um programa amplo para estimular a eletrificação com preço acessível para o transporte local visando maior produção de energia doméstica, menor dependência do petróleo importado e uma redução geral nas emissões de gases de efeito estufa. 

 

“Os caminhões elétricos ainda estão engatinhando, mas acreditamos que eles terão um futuro brilhante no mix de veículos com energia alternativa”, afirma o vice-presidente de assuntos ambientais e de sustentabilidade da empresa, Mitch Jackson. “Testaremos esses caminhões para ajudar os fabricantes a aprimorarem suas ofertas futuras. No futuro, enxergamos a possibilidade de reabastecimento de frotas de veículos elétricos com eletricidade de baixa emissão ou emissão zero gerada no local, através de inovações como painéis solares elétricos, como os utilizados nas unidades da FedEx na Califórnia, Nova Jersey e Alemanha ou o Bloom Energy Server.”

 

Até o final de junho, a frota com energia alternativa da FedEx terá crescido para 1.869 veículos em serviço em todo o mundo, ajudando a diversificar e ampliar o mercado de veículos totalmente elétricos e híbrido-elétricos no mundo inteiro. Além dos nove novos caminhões elétricos a serem implementados em Los Angeles e Paris, a FedEx comprou outros dez novos veículos híbrido-elétricos que serão acrescentados à sua frota na Califórnia durante a primavera, em Oakland.  

 

A FedEx se comprometeu em melhorar sua eficiência geral de combustível nos veículos em 20% até 2020. A frota de veículos híbridos da FedEx recentemente ultrapassou a marca dos cinco milhões de serviços diários — o equivalente a 200 viagens em torno do Equador.   

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.