FAO pede informações sobre florestas de todos os países

Um dos objetivos é juntar dados que permitam analisar o efeito do desmatamento nas mudanças climáticas

Efe,

06 de março de 2008 | 14h41

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) pediu aos países informações sobre suas florestas para preparar uma Avaliação dos Recursos Florestais Mundiais, uma recopilação de dados que permitirá analisar, entre outros assuntos, o efeito de desmatamento na mudança climática.   O sistema de Avaliação dos Recursos Florestais Mundiais, um estudo que começou há mais de 60 anos, proporciona dados sobre a quantidade de florestas existentes, suas administrações e suas perdas.   Segundo os últimos dados da FAO, as florestas mundiais estendem-se por quase 4 bilhões de hectares, aproximadamente 30% da superfície terrestre mundial.   A organização destaca que apesar de a taxa de perda líquida das florestas ter encolhido nos últimos anos, o planeta ainda continua perdendo cerca de 200 quilômetros quadrados de mata por dia.   Espera-se que o próximo relatório, que ficará pronto em 2010, avalie as condições das florestas em 235 países e territórios, dos quais 175 já designaram os especialistas encarregados dessa tarefa.   "Um maior respaldo dos países e os avanços da tecnologia de comunicação farão com que a próxima Avaliação dos Recursos Florestais Mundiais seja a mais precisa e confiável já realizada até o momento", disse Jan Heino, subdiretor-geral do Departamento Florestal da FAO.   Heino também disse que "a avaliação de 2010 será uma ferramenta importante para medir o impacto do desmatamento na mudança climática e o papel das florestas para diminuir os efeitos dessa mudança". A afirmação se baseia na avaliação que permitirá aos analistas compreender os usos do solo que estão substituindo as florestas e que melhorará a compreensão da contribuição mundial destes à emissão e à redução de gases do efeito estufa.   Uma das técnicas empregadas para recopilar a informação é uma nova e ambiciosa medição em nível mundial por controle remoto. Para isso, serão usados dados de satélites dos anos de 1975, 1990, 2000 e 2005, que permitirão analisar a cobertura florestal do planeta.   A nova avaliação gerará, segundo a FAO, um banco de dados "sem precedentes" sobre o desmatamento e a expansão de florestas naturais. Ainda de acordo com a FAO, a avaliação ampliará "o conhecimento sobre a diversidade biológica das florestas e incluirá um estudo especia lsobre árvores fora da floresta, uma medição da área florestal administrada de forma sustentável e dados sobre leis, políticas e instituições florestais".

Tudo o que sabemos sobre:
FlorestasFAOrelatórioclima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.