Ex-reitor de Princeton vai comandar revisão de painel climático da ONU

Relatório de cientistas do IPCC teria exagerado o ritmo de derretimento das geleiras do Himalaia

REUTERS

03 Maio 2010 | 14h58

Um ex-reitor da Universidade Princeton, nos EUA, vai comandar uma revisão do painel de cientistas climáticos da ONU, depois de erros em um relatório de 2007 usado como diretriz no combate ao aquecimento global, anunciaram academias de ciências nesta segunda-feira, 3.

 

Veja também:

linkCúpula do clima 'não dará todas as respostas' para fechar tratado, diz ONU

linkCorte de 30% de CO2 custaria à UE mais 33 bi de euros

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialRumo à economia do baixo carbono

O economista Harold Shapiro, de 74 anos, vai chefiar o comitê de 12 integrantes que até 30 de agosto deve apresentar um relatório sobre o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), das Nações Unidas.

O IPCC dividiu o Prêmio Nobel da Paz de 2007 com o ex-vice-presidente norte-americano Al Gore.

"Abordamos essa revisão com a mente aberta", disse Shapiro em comunicado do comitê nomeado pelo Conselho InterAcadêmico (IAC), sediado em Amsterdã, que agrupa academias nacionais de ciências.

Canadense de nascimento, Shapiro é ex-reitor das Universidades Princeton e do Michigan. Outros membros do comitê incluem Mario Molina, ganhador do Prêmio Nobel de Química, e Maureen Cropper, ex-economista chefe do Banco Mundial.

Em janeiro, o IPCC reconheceu que seu último relatório de 2007 tinha exagerado o ritmo de derretimento das geleiras do Himalaia, dizendo que poderiam todas desaparecer até 2035. Em fevereiro o painel disse que também tinha exagerado a parcela da Holanda que fica abaixo do nível do mar.

Erros nos relatórios

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, anunciou a revisão em março, depois de a polêmica em torno dos erros do IPCC ter erodido a confiança. Pessoas que põem em dúvida a ideia de que sejam as atividades humanas que estão aquecendo o planeta dizem que os relatórios foram enviesados de maneira a excluir pontos de vista alternativos.

Ban reafirmou as conclusões chaves do IPCC de que o painel tem pelo menos 90 por cento de certeza de que as atividades humanas são a principal causa de mudanças climáticas ocorridas nas últimas décadas e que vão levar a mais ondas de calor, enchentes, secas e a alta dos níveis do mar.

O comitê de revisão fará sua primeira reunião em Amsterdã em 14-15 de maio. Roseanne Diab, executiva da Acadêmcia de Ciência da África do Sul, será sua vice-presidente. Outros membros virão de países que incluem China, Índia, Brasil, Alemanha, Grã-Bretanha, Holanda e Malásia.

As questões a serem revistas incluem "garantias e controle de qualidade de informações; o tipo de literatura que pode ser citado em relatórios do IPCC; revisão especializada e governamental de materiais do IPCC; a inclusão de uma gama completa de visões científicas, e a correção de erros", disse o comitê.

O comitê também vai rever "outros processos, incluindo funções de direção e estratégias de comunicação."

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTE REVISAO PAINEL ONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.