Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

EUA vão propor corte de 17% nas emissões em Copenhague

Câmara dos Representantes norte-americana aprovou lei que estabelece a meta de redução até 2020

estadao.com.br,

25 Novembro 2009 | 13h34

Os Estados Unidos vão prometer cortar suas emissões de gases-estufa em 17% até 2020 na reunião da ONU sobre mudanças climáticas em dezembro, disse a Casa Branca nesta quarta-feira, 25. A posição que será levada pelo presidente Barack Obama ao encontro entre líderes mundiais em Copenhague vem sendo atrasada pela demora do Senado em aprovar uma lei do clima para o país.

 

Veja também:

linkChina quer força de lei em meta ambiental só para ricos 

linkAmericanos estão mais céticos sobre mudança climática 

linkGreenpeace acusa Obama de querer sabotar cúpula do clima

linkBrasil pode perder R$ 3,6 trilhões por causa do aquecimento global

linkBrasil condiciona meta de emissão a propostas dos países ricos 

A Câmara dos Representantes aprovou uma lei que estabelece uma meta de redução de 17% para as emissões até 2020, tendo como base os níveis de 2005. A versão do projeto no Senado prevê um corte de 20%.

 

A União Europeia pressionava os Estados Unidos a levarem uma meta de redução da emissão de CO2 para a cúpula da ONU em Copenhague, alegando que a demora da definição estava comprometendo os esforços das outras nações de combater as mudanças climáticas.

 

Presença de Obama é 'crucial'

 

O presidente Barack Obama confirmou que viajará a Copenhague para participar do início do encontro da ONU sobre mudanças climáticas em 9 de dezembro antes de receber o prêmio Nobel da Paz numa cerimônia em Oslo, na Noruega.

 

Na sexta-feira, o chefe das Nações Unidas para mudança climática, Yvo de Boer, havia afirmado que a presença de Obama "faria uma enorme diferença". Geralmente, são ministros de meio ambiente que participam dos últimos dias das reuniões anuais de mudanças climáticas da ONU.

O primeiro-ministro dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen, afirmou que a participação dos chefes de Estado será "crucial" para o sucesso do encontro. 

(Com Reuters, BBC e AP)

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTE EUA META*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.