Larry Downing/Reuters
Larry Downing/Reuters

EUA terão mais seca nas próximas décadas

Estudo aponta que uma das principais consequências das mudanças climáticas nos Estados Unidos é o aumento de secas intensas

The Washington Post, O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2012 | 03h05

Os Estados Unidos sofrerão uma série de secas severas nas próximas duas décadas, segundo estudo publicado na revista especializada Nature Climate Change. Além disso, o aquecimento global terá papel cada vez mais importante na abundância e severidade das secas, afirma a pesquisa.

Essas descobertas reforçam conclusões de modelos climáticos usados por pesquisadores de todo o mundo que previram secas mais generalizadas e severas nas próximas décadas. Esses modelos vinham sendo questionados porque não refletiam completamente padrões de secas reais quando eram comparados com as condições do passado.

No entanto, usando um método estatístico com dados sobre temperaturas da superfície do mar, Aiguo Dai, um pesquisador do clima no National Center of Atmospheric Research, centro de pesquisa financiado pelo governo americano, revelou que o modelo retratava com precisão eventos climáticos históricos.

"Agora podemos ficar mais confiantes que os modelos estão corretos", disse Dai. "Mas, infelizmente, as previsões são assustadoras", afirma.

Ocorrência

Embora os modelos existentes não possam prever a severidade de uma seca num dado ano, eles podem avaliar a sua probabilidade.

Enquanto as variações na temperatura do mar influenciam principalmente na precipitação, o aquecimento global deve trazer secas pelo aumento da evaporação terrestre.

Além disso, Dai prevê mais estiagem na América do Sul, sul da Europa e África.

"A similaridade entre as secas observadas e as projeções de modelos climáticos é espantosa", disse Peter Cox, um professor de dinâmica do sistema climático na Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha. Ele disse que também concorda que os modelos mais recentes sugerem o crescimento de secas consistente com as mudanças climáticas causadas pelo homem. /Tradução de Celso Paciornik

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.