EUA preveem 7 grandes furacões no Atlântico neste ano

Um furacão poderia ajudar a dispersar a mancha de óleo que se espalha pelo Golfo do México

Associated Press

27 Maio 2010 | 16h05

A temporada de furacões no Oceano Atlântico de 2010 provavelmente será cheia e poderá produzir até 23 tempestades fortes o bastante para receberem nomes, incluindo sete furacões, diz o governo dos Estados Unidos.

 

A Administração Nacional de Oceano e Atmosfera (NOAA) previu que de oito a 14 tormentas ganharão força de furacão, com ventos máximos de 119 km/h ou mais. De três a sete poderão se tornar grandes furacões, atingindo categoria 3 ou superior, o que significa ventos sustentados de pelo menos 179 km/h.

 

"Se essa perspectiva se mantiver, esta temporada será uma das mais ativas já registradas", disse a administradora da NOAA, Jane Lubchenco, em nota. "A maior probabilidade de tempestades aumenta o risco de que cheguem a terra. Em resumo, pedimos que todos se preparem".

 

Um furacão poderia ajudar a dispersar a mancha de óleo que se espalha pelo Golfo do México, mas o petróleo não afetará de modo significativo o processo de formação das tormentas, disseram os meteorologistas.

 

Os cientistas não sabem o que esperar dos efeitos da interação entre furacões e o óleo para o meio ambiente, mas há o temor de que ondas e ventos fortes empurrem o petróleo para o interior de estuários e mangues, destruindo as zonas costeiras que ajudam a atenuar as tempestades mais intensas.

 

A previsão para 2010 é baseada no enfraquecimento do El Niño, um fenômeno no Oceano Pacífico que ajuda a reprimir o desenvolvimento de tempestades durante a temporada de furacões do Atlântico. Em 2009, nove tempestades tropicais deram origem a três furacões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.